4 atitudes simples para preservar o meio ambiente

Não basta apenas dizer que ama a natureza, é preciso também se dedicar a mudar hábitos prejudiciais e buscar meios de ajudar na sua conservação. Nós da Uvaction temos uma relação de proteção e respeito com o natural que vai muito além das nossas peças de moda praia.

Hoje a sociedade presencia um momento crítico de transformações ambientais onde as florestas, o clima e toda a biodiversidade no geral estão sendo explorados de modo talvez irreversível.

Quando o assunto é oceanos, a ação humana é responsável por impactos negativos como a morte de mais de 100 mil espécies de animais marinhos todos os anos. Essas consequências da má relação com a natureza ressoam também em nossas vidas, já que dependemos do equilíbrio ecológico para existir.

Por isso, é preciso que busquemos soluções para esses problemas ambientais dentro do nosso próprio cotidiano. Não basta esperar iniciativas de governos e empresas, enquanto dia após dia contribuímos para a destruição do meio ambiente.

Nesse post, você verá 4 dicas práticas de como você pode fazer a sua parte na preservação do meio ambiente com atitudes simples no dia a dia.

Descarte responsável para proteger a natureza

Um dos primeiros passos na busca por uma relação mais saudável com a natureza é se preocupar com o descarte de resíduos. Segundo um estudo realizado pelo Fundo Mundial para a Natureza (WWF), o Brasil é o quarto país que mais produz lixo no mundo.

São cerca de 2,4 milhões de toneladas despejadas de modo inadequado e apenas 1,28% desse total passa por um processo de reciclagem. Isso ocorre pela falta de um sistema eficiente que possibilite uma seleção e destinação correta desses resíduos.

Isso resulta em lixos atirados no meio ambiente ou na concentração destes restos em lixões espalhados pelo país, o que não é uma prática benéfica ao equilíbrio ambiental e à saúde da população. No país existem cerca de 3 mil lixões funcionando em vários municípios.

Esse não é um destino ideal, justamente porque nesses ambientes não há separação entre os diferentes tipos de rejeitos depositados. Havendo uma mistura de materiais de baixa periculosidade com outros mais perigosos como restos hospitalares, por exemplo.

Apesar de os principais responsáveis por modificar essa realidade serem os órgãos públicos de cada localidade, você pode fazer sua parte e ajudar ao se preocupar com o descarte do seu lixo.

O primeiro passo é se educar sobre os diferentes tipos de resíduos e assim realizar a separação dos mesmos na hora do descarte. Separe lixos secos (inorgânicos) como embalagens, vidro e plásticos dos chamados lixos úmidos (orgânicos) como frutas, vegetais e restos de comidas no geral.

Assim você pode fazer um direcionamento correto de cada material. Os inorgânicos de origem industrial como o plástico, podem e devem ser destinados à reciclagem. Já os orgânicos podem ser destinados a serviços de compostagem sendo transformados em adubo, por exemplo.

Existem ambientes especializados em fazer essa coleta seletiva, vale a pena procurar esses locais no seu bairro.

Economizar água para preservar o meio ambiente

A água é um recurso natural renovável e abundante na natureza, porém, isso não significa que não precisemos nos preocupar com um bom uso da mesma. Além de usufruirmos dos mares e praias para lazer, a água é essencial à nossa existência e ao funcionamento da sociedade.

Segundo o relatório da ONG SOS Mata Atlântica, apenas 6,5% dos rios do Brasil apresentam água com boa qualidade. O que é extremamente prejudicial à subsistência dos brasileiros já que essas fontes são responsáveis por abastecer a população.

Outro estudo, agora realizado pelo Instituto Trata Brasil mostra que 40% da água potável que é captada acaba sendo desperdiçada, o que equivaleria a uma quantidade suficiente para abastecer mais de 63 milhões de brasileiros.

Assim, podemos ver que mesmo a água sendo um recurso natural vasto, o mal uso desse elemento pode prejudicar a vida humana de diversas maneiras. Sendo ainda bastante alto o número de pessoas sem acesso a ela em casa.

Por isso, é preciso que todos se atentem ao uso consciente dos recursos hídricos. Ao adotarmos uma rotina individual que preze pela economia e bom uso da água, podemos então contribuir para melhorar essa realidade.

Mudanças simples no dia a dia já são capazes de fazer toda a diferença. Por exemplo, um banho de 15 minutos pode gastar até 240 litros de água quando a torneira está aberta, se neste período ela for fechada durante o ensaboamento a economia chega a cerca de 90 litros de água.

Assim mantenha o hábito de fechar as torneiras enquanto escova os dentes, lavar os pratos e mãos. Também prefira usar baldes para lavar a casa e o carro em vez de usar mangueiras.

Você também pode reutilizar a água usada de piscinas e máquinas de lavar para limpar o quintal ou banheiro, por exemplo.

Diminuir o uso do carro

O setor de transporte também possui diversas questões problemáticas em relação ao meio ambiente. Por conta dos altos índices de emissão de CO2 os automóveis são um dos maiores responsáveis pelo aumento do efeito estufa.

Outro problema da poluição do ar causada pelos veículos é que em centros urbanos, onde existem grandes quantidades de automóveis circulando a população acaba se tornando mais suscetível a desenvolver problemas respiratórios.

Além disso, estudos apontam que os congestionamentos causados pelo excesso de automóveis nas ruas, são responsáveis pelo aumento de diversos problemas psicológicos como estresse e ansiedade., reduzindo a qualidade de vida dos indivíduos.

Assim, repensar o transporte é uma oportunidade não só de combater a poluição do meio ambiente, mas também de melhorar nossa qualidade de vida.

Algumas das alternativas são no caso de casas com mais de um veículo, oferecer carona aos outros moradores. Existem hoje também diversos aplicativos de compartilhamento de automóveis onde você pode dividir o valor da viagem com outras pessoas. E por fim o uso do transporte público e bicicletas quando for viável.

Consumo consciente para preservar o planeta

Não adianta olhar apenas para as consequências finais da má relação entre o ser humano e a natureza. Um ponto muito importante que está no início de todos problemas enfrentados nas últimas décadas é o consumismo excessivo da sociedade.

Na busca por satisfazer as necessidades humanas como alimentação, vestuário, transporte e vários outros aspectos da vida, a sociedade acaba por esgotar toda a capacidade de recursos do meio ambiente.

Numa escala de superexploração dos bens naturais o mundo hoje vive um momento crítico. Essas atividades produtivas são as principais responsáveis por questões como desmatamento, poluição de água e do ar, o abatimento de animais, entre outros problemas ambientais.

Para um futuro mais sustentável é preciso que antes de tudo mudemos nossa forma de consumir e extrair recursos da natureza. Isso começa com a criação de uma consciência ecológica maior, onde possamos pensar e planejar tudo que resolvemos adquirir.

Alguns passos essenciais do consumo consciente são avaliar o por que comprar determinado produto, o que comprar e qual o melhor fornecedor desse produto, levando em conta sempre o processo produtivo utilizado por essa empresa, por exemplo.

Também é importante saber utilizar esses produtos sem agredir o meio ambiente e buscar como já abordamos nos textos, meio de descartes mais sustentáveis.

A sustentabilidade começa no nosso dia a dia

Como você viu ao longo do texto, não cabe apenas ao governo, empresas e ONGs o papel de preservar a natureza. A nossa contribuição mudando hábitos diários têm o poder de causar impactos positivos de grande valor a longo prazo.

Além de que, consumidores e cidadãos mais conscientes são essenciais para influenciar empresas e instituições maiores a repensarem alternativas mais ecológicas para oferecer seus serviços e produtos.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *