Como cuidar de seu pet em dias de calor?

Como cuidar do seu pet em dias de calor?

O verão é a estação do ano mais aguardada pela maioria das pessoas, pois o sol brilha na maior parte do tempo, permitindo dias de diversão com os amigos, família,  e claro, o pet!

Da mesma forma como nós sofremos quando a sensação térmica pode chegar a 42º graus, os pets também sofrem. E isso sem contar que em algumas regiões do Brasil o inverno é apenas o nome de uma estação do ano e praticamente não existe, pois, o calor impera o ano inteiro.

Nossos bichinhos se incomodam bastante nesses dias mais quentes e podem acabar ficando doentes e até apresentando problemas mais sérios. Por isso hoje nós vamos te ajudar com dicas preciosas sobre como cuidar do seu pet em dias de calor. Siga lendo e não perca nenhuma informação!

A importância da proteção solar para os pets

A importância da proteção solar para o pet
Photo credit: Bennilover on Visual Hunt / CC BY-ND

Muitas pessoas, por falta de conhecimento, acabam não cuidando adequadamente do seu bichinho de estimação em dias de calor.

Fazer o uso de proteção solar para o pet é tão importante quanto para nós. Assim como os humanos, os animais também desenvolvem câncer. Sem a proteção adequada, eles podem ter doenças como carcinomas ou melanomas.

Os que mais sofrem com os dias quentes são aqueles que têm a pele muito rosada ou não possuem pelagem. Nesse caso, eles precisarão de uma proteção no corpo todo.

Tenha em mente que o pelo dos animais já atua como um protetor solar, porém as áreas com menos pelagem, como a região das orelhas e os focinhos, são as mais sensíveis e por isso carecem de proteção extra.

Mas saiba que o produto a ser aplicado nos nossos queridinhos não é o mesmo que usamos. Eles têm um protetor específico, fabricado especialmente para pets e com uso indicado apenas para eles. Outra opção é uma roupa específica que protege a região posterior do animal. Sua ação é semelhante a de uma roupa térmica.

Talvez você se pergunte se poderia usar nele o mesmo protetor que usa. A resposta é sim, mas, neste caso, utilize preferencialmente os indicados para crianças. Compre aqueles com fator solar 30 ou superior.

No caso dos animais com pouca pelagem, opte por produtos com camada extra de proteção, com fator 60 ou superior. Lembre-se: o uso de protetor solar pode ser útil também em dias um pouco mais frios, já que o pet procura lugares quentes para se aquecer e pode ficar igualmente exposto ao sol.

Cuidados e horários para os passeios a pé

cobalt123 on VisualHunt.com / CC BY-NC-SA

Procure sair com os pets em horários mais frescos. Assim você pode ter maior controle sobre a exposição deles ao sol. Prefira os passeios antes das 10h ou no fim da tarde, após às 17h. Veja outros cuidados que você pode ter com seus amiguinhos:

  • Solo: Atenção máxima em relação ao solo por onde você estará andando com o seu bichinho. Verifique se o asfalto ou a areia não estão muito quentes para não haver nenhum risco de ele queimar a patinha.

  • Sapatinhos: A maioria dos bichinhos não se adapta aos sapatos que foram especialmente desenvolvidos para eles, mas não custa tentar. Dependendo do lugar onde o passeio é feito e da região onde você mora, poderá ser necessário.

  • Água: Não se esqueça de levar água e oferecer regularmente ao pet para que ele não fique desidratado. Verifique também se ele aparenta estar muito cansado ou não. Já que ele não transpira como a gente, fica mais difícil identificar o seu estado, mas ainda neste post daremos dicas de como fazer isso.

  • Focinheira: Se o seu pet utiliza focinheira, utilize preferencialmente a de grade. Dessa forma, ele conseguirá abrir melhor a boca para respirar.

  • Brinquedinhos: Em sua casa, disponibilize água fresca e troque-a regularmente para o seu amiguinho assim como coloque alguns dos seus brinquedinhos no congelador para que ao mesmo tempo em que estiver brincando, ele se refresque.

Cães e gatos reagem ao calor da mesma forma?

Os cães e os gatos transpiram pelas patas, através daquela parte fofinha e que parece uma almofada. Eles também ficam ofegantes para que possam se resfriar. Portanto, esse é um mecanismo natural do corpo deste tipo de animal. De qualquer forma, você pode ajudá-los a se refrescar.

Diferentemente dos cães, os gatos lidam melhor com o clima quente. Suas orelhas funcionam como um mecanismo natural de resfriamento.

Não se esqueça: fique sempre atento às atitudes do seu bichinho e busque alternativas para que ele sofra o mínimo impacto possível por conta do calor intenso.

Cuidados necessários ao passear de carro com o pet

Cachorro no carro
Julie (thanks for 8 million views) on Visual hunt / CC BY-NC-SA

Os pets são parte da nossa família. Isso quer dizer que, na maioria dos passeios, geralmente eles estão incluídos.

Passear de carro para eles pode ser bastante divertido, principalmente para os cães, mas alguns cuidados precisam ser tomados para que o passeio não se torne uma tremenda dor de cabeça.

Então preste atenção as 4 regras básicas para garantir a segurança de todos que estarão no veículo e evitar gastos com multas inesperadas:

  1. Promova momentos de adaptação

Cães e gatos muitas vezes não se sentem confortáveis em ambientes fechados ou nos quais eles não tenham uma sensação de controle. Então é muito importante que o pet já esteja familiarizado com esse tipo de passeio para que ele não fique agitado dentro do carro.

Para que tudo ocorra bem, é aconselhável introduzi-los pouco a pouco nesse ambiente para que não se sintam inseguros e ocasionem acidentes. Comece colocando-os no veículo parado e fechando a porta. Ligue o motor, mas não coloque o carro em movimento.

Em outro momento, faça passeios curtos e vá aumentando a distância à medida que for percebendo que o animal já se habituou a isso. Os cães são mais fáceis de se adaptar a um veículo do que os gatos, que preferem ambientes mais estáveis.

  1. Não deixe o animal solto

De forma alguma deixe o pet solto dentro do carro. Os animais geralmente são agitados, principalmente os cães, e situações perigosas podem ocorrer. Eles podem, por exemplo, começar a pular dentro do veículo e, em caso de uma freada mais forte, serem lançados para a frente.

Os animais de estimação devem ser transportados preferencialmente em suas casinhas, em caixas ou até em cadeiras apropriadas. A utilização de cinto de segurança especial para eles é fundamental.

Se o animal por algum motivo tiver que viajar no colo do carona, o melhor lugar para isso será no banco traseiro.

  1. Não transporte seu animal de estimação na parte externa

Vários cachorrinhos gostam de passear com a cabeça para fora da janela, porém, essa atitude, além de ser perigosa e colocar em risco as pessoas dentro do carro, pode lhe render uma multa de trânsito. Trata-se de uma infração grave e a multa prevista gira em torno de R$ 195,00, além de perda de 5 pontos na carteira.

  1. Fique atento ao calor dentro do carro

Na verdade, essa regra serve para todos os dias do ano: nunca deixe o pet sozinho dentro do automóvel, independentemente de a janela estar aberta ou fechada. Em hipótese alguma ele deve passar por essa situação.

O risco de deixar o animal sozinho em um veículo quente é muito grande porque a temperatura interna de um carro sobe rapidamente, o que pode fazer com que ele desmaie.

Deixar o pet trancado no carro com o ar condicionado ligado também não é uma boa ideia. Isso é um risco porque ele pode mexer no painel e, de alguma forma, conseguir desligar o aparelho. Sendo assim, ficará trancado no veículo e ainda pode inalar gases tóxicos.

Consequências da falta do cuidado com o pet em dias de calor

cachorrinho doente
Photo by freestocks.org on Unsplash

O calor pode ser muito perigoso para os animais, sobretudo para os cães e gatos, que têm poucas glândulas sudoríparas, o que dificulta bastante a troca de calor.

Veja agora problemas que podem afetar os pets em dias muito quentes:

  • Hipertermia: trata-se de uma consequência do aumento da temperatura corporal do pet. Locais quentes e sem circulação de ar podem fazer com que a temperatura do corpo do bichinho aumente significativamente, o que pode levá-lo a desenvolver um quadro de desidratação.

  • Doenças de pele: dermatites e até mesmo pulgas e carrapatos podem aparecer com mais facilidade por conta do calor e da umidade. Fique atento, pois a proliferação deles acontece de forma mais rápida nesse período.

  • Câncer de pele: pets com focinho e pele clara têm mais chances de desenvolver a doença, assim como os animais com pouco pelo. Evite a exposição extrema do seu amiguinho ao sol.

Quando os pets são submetidos a temperaturas muito elevadas ou são transportados em um veículo sem ventilação apropriada, eles apresentam alguns sinais. É importante ficar alerta a:

  • Respiração e batimento cardíaco acelerados;

  • Salivação em excesso;

  • Pele e mucosa avermelhadas;

  • Vômito;

  • Diarreia;

  • Desmaio.

Qualquer um desses sinais ou outros que demonstrem que o animalzinho não está bem, é aconselhável que você o leve ao veterinário mais próximo. Dependendo da temperatura a que ele esteja sendo ou tenha sido submetido, o quadro pode evoluir rapidamente, levando-o a óbito.

Outras dicas de cuidados especiais com o pet

Sentindo a brisa
Jasper180969 on Visualhunt.com / CC BY-NC-SA

Por mais que amemos nossos bichinhos, muitas vezes, negligenciamos detalhes que envolvem sua rotina e bem-estar por falta de conhecimento. Então é importante estar atento a aspectos que envolvem sua alimentação e tosa, por exemplo. Se o calor afeta todos os seus hábitos, não é diferente com os pets.

Veja agora como cuidar da alimentação, da saúde, da tosa e de muito mais nos dias quentes:

  • Alimentação

Não deixe que a ração do seu bichinho fique exposta ao sol por muito tempo. Caso ele não queira comer no momento, guarde-a e dê a ele outra hora.

A ração exposta faz com que o alimento se deteriore e perca a sua qualidade. Já as sobras que tiverem contato com a saliva, quando combinadas com a exposição ao sol, devem ser descartadas, pois correm o risco de estragar, já que a umidade facilita a sua fermentação.

  • Protetor solar

Já falamos sobre isso, mas vale frisar a importância de proteger o animal do sol usando protetor solar, sobretudo as áreas mais sensíveis.

Aja com seu pet como você age consigo. Em dias muito quentes, você mesmo não usa chapéus, viseiras e muito mais para estar protegido? Então trate seu animalzinho com o mesmo carinho.

  • Rotina de banho

No verão, os banhos dos pets podem se tornar mais frequentes a fim de que eles se sintam mais confortáveis e frescos. Mas nunca dê banhos quentes, ok? A recomendação é que eles sejam mornos ou frios.

  • Tosa

A tosa também é fundamental para o pet. Além da questão higiênica, ela proporciona frescor aos animais.

Muitos pets curtirão ainda mais a tosa porque normalmente gostam de encostar a barriguinha no chão gelado para se refrescar ainda mais. Com os pelos tosados, a sensação será ainda melhor.

  • Ventilação da casinha

Se o seu pet tem uma casinha na área externa e passa a maior parte do tempo dentro dela, procure se certificar de que o local seja ventilado. Além disso, coloque a casinha na sombra, pois nos dias mais quentes o calor interno vai aumentar e isso pode prejudicar o seu animalzinho.

  • Use antipulgas

Devido à proliferação dos parasitas nos dias mais quentes, é preciso aplicar produtos que protejam os animais dos carrapatos e das pulgas. Há várias marcas no mercado e um veterinário poderá lhe orientar sobre a dosagem adequada para o seu pet, assim como sobre o seu tempo de uso.

Depois desse post, você está muito mais consciente dos cuidados que precisa ter para proteger o seu pet em dias de calor, não é verdade? A UvAction trabalha para proteger você e sabe o quanto você ama seu animal de estimação. Por isso trabalhamos sempre visando o bem-estar da sua família!

Visite nosso site e conheça as soluções mais modernas para se proteger do sol!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *