remo

Conheça alguns dos principais esportes aquáticos do Brasil

Assim como o céu, o mar sempre foi algo desafiador para o homem. Por muitos séculos, várias civilizações se perguntaram sobre o que havia naquela imensidão das águas, imaginando a existência de monstros e de criaturas mágicas.

Com o tempo, muitos deles se lançaram ao mar para descobrirem novas terras e culturas. E outros para se divertirem e explorarem o contato de nós, seres terrestres, e este ambiente diferente.

É por esta razão que os esportes aquáticos fascinam tanto os espectadores. Como é possível nadar tão rápido assim? Como calculam onde pular? Os homens e mulheres do século XXI ainda desafiam as águas, tanto no mar como em piscinas olímpicas.

Com mais de 7 mil quilômetros de litoral, é claro que o Brasil seria um dos lugares que mais despertam o interesse pela prática esportiva na água, seja de brasileiros ou de estrangeiros.

Mas, para além da diversão, este tipo de prática esportiva é incentivado pelos médicos pelos inúmeros benefícios à saúde. Que tal conhecer mais sobre o assunto?

A história dos esportes aquáticos

relógio
Foto de Giallo no Pexels

Os esportes aquáticos já estavam presentes na Antiguidade e eram praticados pelos gregos. Há registros que indicam, por exemplo, que a natação era uma atividade ensinada à população, sendo vista como fonte de condicionamento físico e saúde.

Séculos depois, quando foram organizados os Jogos Olímpicos Modernos, em 1896, esta modalidade foi incluída no circuito com provas de 100, 500 e 1200 metros de nado livre em pleno mar balcânico. Imagine o nível de dificuldade!

Na edição seguinte, em 1900, foram implementados também o polo aquático, o remo e a vela e, na sétima competição, os saltos ornamentais. Atualmente, além desses esportes, temos a canoagem e o nado sincronizado.

A trajetória dos esportes aquáticos no Brasil

trajeto do esporte
Foto de Tembela Bohle no Pexels

O Brasil possui uma larga trajetória nos esportes aquáticos. A abundância de praias e de rios fez com que os brasileiros fossem despertados para essa prática precocemente.

No final do século XIX e início do XX, surgiram clubes que promoviam as práticas aquáticas e organizavam competições. Alguns exemplos são o Clube de Regatas do Flamengo, o Club de Regatas Botafogo e o Club de Regatas Vasco da Gama, no Rio de Janeiro.

Hoje conhecidos pelas suas equipes de futebol, estas agremiações nasceram por conta da prática de remo, que era difundida nas principais cidades do país. Até mesmo em São Paulo os rios Tietê e Pinheiros, que na época eram limpos, eram usados de forma recreativa e para a pesca pela população.

Em termos profissionais, a primeira olimpíada com participação brasileira foi a de 1920, na cidade de Antuérpia, na Bélgica. A delegação de 24 atletas – oriundos de clubes em todo o país – era composta por 21 ligados aos esportes aquáticos, sendo eles natação, saltos ornamentais, polo aquático e remo.

Alguns anos depois, o Brasil faria história ao levar a nadadora Maria Lenk para disputar os jogos olímpicos, sendo ela a primeira mulher da América do Sul a disputar este torneio. Além disso, a atleta foi responsável por introduzir o nado borboleta nas Olimpíadas.

De lá para cá, a trajetória dos esportes aquáticos no Brasil é marcada pela melhoria da infraestrutura, pela criação de mais espaços para a prática esportiva e pela presença contínua em jogos olímpicos, pan-americanos e no Mundial de Esportes Aquáticos.

Um dos fatores decisivos para este novo cenário foi a criação da Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos em 1977.

Sediada na cidade do Rio de Janeiro, ela é a responsável por organizar e incentivar em todo o Brasil a prática da natação, do nado artístico, do polo aquático, dos saltos ornamentais e das maratonas aquáticas (natação em mares, lagos e outros espaços abertos).

Quais são os benefícios dos esportes aquáticos para a saúde?

Os esportes aquáticos são a modalidade mais recomendada pelos médicos, seja para a prevenção de algumas doenças ou para o tratamento de outras. Isso porque eles proporcionam a movimentação de praticamente todas as partes do corpo.

Ficou curioso para saber como funciona? Veja como a prática esportiva na água pode melhorar sua saúde física e mental:

  • Fortalecimento muscular

Utilizamos braços, pernas, pés e cabeça para vencermos a pressão da água e nos movimentarmos neste meio que não foi feito para seres terrestres.
Todo este esforço faz com que diferentes grupos de músculos sejam trabalhados e fiquem cada vez mais resistentes. Tudo isso contribui para que as gordurinhas indesejadas sejam eliminadas.

  • Melhoria das vias respiratórias

Os esportes aquáticos exigem que a pessoa tenha controle sobre a sua respiração. Por isso, suas técnicas podem ser levadas para fora da água, auxiliando no tratamento de doenças respiratórias.

Pacientes que sofrem de bronquite, rinite e asma são beneficiados, pois a prática torna seu organismo resistente e diminui a frequência de crises.

  • Bom funcionamento cardiovascular

Já percebeu que o nosso corpo fica menos tenso quando estamos no mar ou em uma piscina? Isso acontece porque o ambiente aquático estimula a nossa circulação sanguínea, tendo um efeito massageador. Este aspecto também facilita a recuperação de lesões.

  • Relaxamento do corpo e da mente

Os esportes aquáticos também são recomendados para os que sofrem de transtornos de ordem mental, dentre os quais destacamos a depressão e a ansiedade. Atividades aeróbicas, como a natação, fazem com que as pessoas se movimentem bastante e diminuam a sua tensão corporal.

Outro ponto positivo é que a prática libera a endorfina, o chamado hormônio do prazer. Ele proporciona uma sensação de tranquilidade, bem-estar e aumenta a disposição do indivíduo.

  • Baixo risco de lesão

Dentre todos os esportes, os aquáticos são os que menos oferecem riscos de lesão para os seus praticantes. Por esta razão, grupos especiais como idosos, gestantes e pessoas em processo de recuperação de lesões podem praticá-los.

Conheça os principais esportes aquáticos no Brasil

natação
Foto de Guduru Ajay bhargav no Pexels

Saiba um pouco mais sobre as modalidades mais praticadas em nosso país.

Natação

É o esporte aquático mais popular do país, praticado em piscinas de 25 ou 50 metros de extensão e com temperaturas de 25ºC a 28ºC. O objetivo é ser o nadador mais rápido de sua competição. Atualmente é competido em quatro estilos: crawl, peito, borboleta e costas.

Remo

Neste esporte, que pode ser praticado por uma, duas, quatro ou oito pessoas por embarcação, os atletas precisam movimentar o mais rápido possível o seu veículo aquático. É possível controlá-lo com um ou dois remos.

Salto ornamental

Esta modalidade já era praticada pelos gregos na Antiguidade, mas só se tornou esporte há pouco mais de 100 anos.

Sendo praticado de forma individual, o atleta salta de um trampolim ou de uma plataforma elevada em direção a uma piscina. O objetivo é que neste percurso ele faça uma série de movimentos ornamentais.

Polo aquático

Em uma piscina, 2 times com 7 atletas cada têm como objetivo acertar uma bola nas redes da equipe adversária. Em alguns aspectos, este esporte é parecido com o handebol.

Para que haja uma competição justa, os jogadores praticam o esporte em uma piscina de 2 metros de profundidade, evitando que eles fiquem de pé e tenham vantagem no jogo.

Nado Artístico

Oficialmente chamado de nado artístico, é uma modalidade esportiva que consiste em fazer movimentos de dança e ginástica sincronizados com uma canção.

Ele pode ser praticado por um, dois, três ou mais nadadores que precisam demonstrar habilidade em combinar flexibilidade, coordenação respiratória, resistência e força física.

Maratona Aquática

Este é o nome dado à prática de natação em águas abertas, ou seja, em rios, lagos e mares, o que implica no deslocamento de grandes distâncias. Neste caso, porém, os atletas utilizam equipamentos diferentes de nadadores de piscinas, como gordura na pele para se proteger do sal.

Quando os esportes aquáticos se tornam profissão?

surf
Foto de Tembela Bohle no Pexels

Os esportes aquáticos podem ser praticados por todos a fim de se exercitar e ter um estilo de vida mais saudável. Porém, nada impede que qualquer um possa encará-los de uma maneira profissional.

Quando se decide por este caminho, o atleta deve procurar o acompanhamento de um técnico que seja especializado no esporte e um espaço que prepare atletas profissionais, ensinando as regras oficiais e cuidando de seu condicionamento físico.

Nesse sentido, há diversos clubes pelo país que fazem a seleção de potenciais esportistas aquáticos e oferecem todo apoio técnico para sua equipe. Eles também são os responsáveis por inseri-los em competições regionais e nacionais.

Outro aspecto importante é a necessidade de ser federado, ou seja, de ser oficialmente reconhecido como atleta pela Confederação Brasileira de Esportes Aquáticos.

Por fim, o atleta deve utilizar equipamentos, acessórios e vestimentas profissionais para ter um melhor desempenho técnico e proteger a sua integridade física.

O caminho para se profissionalizar nos diferentes esportes aquáticos é árduo, mas pode se mostrar realizador. Mais adiante indicaremos alguns lugares no Brasil em que eles podem ser praticados de forma profissional.

A importância das roupas com proteção solar na prática esportiva

Já falamos aqui sobre os inúmeros benefícios que os esportes aquáticos podem proporcionar a nossa saúde, seja do ponto de vista físico como psicológico.

Por outro lado, é importante que os praticantes adotem vestimentas e equipamentos adequados para este tipo de prática esportiva a fim de garantir o seu bem-estar.

Um exemplo são as roupas com proteção solar. Aqueles que treinam ou praticam esportes aquáticos em piscinas a céu aberto ou em rios e praias precisam se preocupar com a saúde da pele.

Por justamente estarem o todo tempo na água, não é possível confiar ao protetor solar o trabalho de proteção do sol. Além do que, este tipo de produto não bloqueia eficientemente todos os raios ultravioleta que trazem malefícios para nós.

Nesse sentido, as roupas com proteção solar são ideais para os atletas. Feitas com uma malha especial, elas protegem a pele de raios UVA e UVB, que são responsáveis por causar manchas, alergias e o temido câncer de pele.

Outro ponto positivo é que esta vestimenta é agradável, não impactando o desempenho técnico dos atletas. São blusas, sungas, maiôs, biquínis e saídas de praia com esta proteção.

Há diversos modelos disponíveis para homens, mulheres e crianças. Vale a pena pesquisar sobre eles e adotar em suas práticas esportivas.

Lugares no Brasil onde mais se praticam os esportes aquáticos

Bandeira
Foto de Tamis Souza no Pexels

Agora vamos para uma lista dos lugares em que mais se praticam os esportes aquáticos no Brasil. Ah, e engana-se quem acha que se trata apenas de locais com praia. Conheça agora!

São Paulo

A terra da garoa possui diferentes espaços aquáticos para a prática de esportes. Na Cidade Universitária da Universidade de São Paulo, é possível praticar natação no seu Centro de Práticas Esportivas e remo em sua raia olímpica, individualmente ou por equipe.

Outro espaço de referência é o Clube Pinheiros, localizado no bairro de nome homônimo, onde são praticados natação, remo, salto ornamental, canoagem e polo aquático. Os paulistas ainda podem explorar as represas Guarapiranga e Billings.

Recife

As praias recifenses podem ser utilizadas para a prática de natação – mas com os devidos cuidados por conta da presença de tubarões – e de remo e canoagem. Estes últimos devem respeitar a demarcação de arrebentação das ondas determinada pela Marinha do Brasil.

Brasília

No calor do planalto central, os brasilienses podem se refrescar e praticar esportes aquáticos no Lago Paranoá e no Parque Nacional Água Mineral.

No primeiro, é possível nadar, fazer canoagem, remo e praticar stand up paddle, windsurf e kitesurf. Já no segundo, é possível aproveitar suas piscinas naturais para a prática de natação.

Rio de Janeiro

Berço dos esportes aquáticos no Brasil, o Rio de Janeiro possui um extenso litoral ideal para a prática de natação, vela, canoagem e remo.

Para os que desejam seguir na carreira profissional, clubes como Flamengo, o Botafogo e o Vasco da Gama ainda fomentam os esportes náuticos e possuem em seu quadro atletas medalhistas que competem em disputas nacionais e fora do Brasil.

Você tinha noção do papel dos esportes aquáticos em nosso país? Já conhecia todas as modalidades que apresentamos aqui?

Esperamos que você tenha gostado do artigo, descoberto os benefícios da prática e se animado para treinar natação, remo, saltos ornamentais, canoagem ou polo aquático. E não se esqueça de se proteger: roupas com proteção solar são fundamentais!

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *