Guia prático para você encontrar seu estilo de vestir

Existe o antes e depois de você descobrir seu estilo. Isso porque muito além de simplesmente cumprir o papel de nos vestir, as roupas são capazes de transformar a relação que temos com o nosso corpo. Algo que tem total influência sobre a construção da nossa autoestima e confiança.

Se você ainda enxerga a moda como algo superficial, você não sabe o que está perdendo. Se vestir de acordo com sua personalidade e de modo alinhado com seu estilo de vida, irá te ajudar a transmitir uma imagem pessoal muito mais interessante e assertiva ao mundo. 

Além disso, ter certa noção sobre moda te ajuda a economizar tempo e dinheiro. Isso porque compras por impulso e sem nenhum planejamento, geralmente acabam por destinar certas peças a ficarem encalhadas no guarda-roupa. 

Se vestir bem não é aleatório. Pelo contrário, a construção do seu estilo será, entre outras questões, a combinação das suas preferências, do que se encaixa bem no seu corpo e te valoriza, como também da adequação dessas roupas ao seu cotidiano. 

Outro ponto importante é que ser estiloso(a) não é o mesmo que seguir tendências da moda ou reproduzir o modo de vestir de pessoas que você tem como referência. É preciso ter certo autoconhecimento e compreensão das suas particularidades para então se chegar a composições que refletem quem você é.

Este texto busca te ajudar a pensar melhor sobre moda e estilo, propondo alguns pontos essenciais que devem ser levados em consideração na hora de comprar as peças que irão compor seu guarda-roupa.

Diferença de moda e estilo

Antes de entrarmos nas dicas, é preciso que você tenha noção de uma questão muito importante para evitar erros na hora de investir na composição do seu visual.

Muitas vezes, você pode ter passado pela situação de adquirir roupas que pouco tem a ver com sua personalidade e lifestyle, simplesmente porque era o que estava em alta no momento. É muito fácil ser influenciado por mídias como tv e redes sociais, por exemplo. 

É aí que você erra, porque esse conjunto de peças que estão em alta no momento são passageiras, é o que chamamos de tendências da moda. Estas por sua vez são influências do mercado e dos estilistas sobre o que é belo e desejável durante um período.

Não que as tendências não sejam importantes para compor seus looks, pelo contrário você pode e deve recorrer a moda atual para buscar inspiração. O erro está quando você busca se enquadrar na moda ao invés de usá-la como referência para criar um estilo autêntico para si mesmo(a).

Estar na moda não é sinônimo de ter estilo, já que o mesmo diz respeito a sua identidade e singularidade. Atributos estes que não serão destacados apenas reproduzindo as tendências do momento. 

Estilo é o reflexo de quem você é, incluindo seus gostos, rotina, trabalho e estilo de vida no geral. 

Autoconhecimento

Para se realizar qualquer coisa na vida é preciso antes se conhecer muito bem e a composição do seu estilo pessoal não poderia ser diferente. O que está na moda ou veste bem uma pessoa que você admira nem sempre cairá bem em você.

Assim é preciso que você reflita bem sobre quais peças realmente valem a pena ter no guarda-roupa. Uma visão geral da sua vida e rotina levando em consideração seu biótipo, seu trabalho, lazeres e locais que frequenta irá dar um norte para que sejam realizadas escolhas mais assertivas.

Outro ponto importante é você entender sua personalidade e como você quer transmitir ela ao mundo. As suas roupas devem estar alinhadas a quem você é e ao que te faz se sentir bem, como também deve ser um meio de enfatizar ou realçar aspectos que você deseja associar a sua imagem, como confiança, profissionalismo ou algo mais criativo e despojado. 

Sendo assim, pense na criação do seu estilo como um investimento que precisa estar em acordo com a vida que você tem e deseja ter. Conheça seu corpo, seu dia a dia e quais suas pretensões ao se vestir. Assim, você terá um bom direcionamento para escolher com mais clareza as próximas peças.

Os próximos tópicos abordados aqui serão desdobramentos do autoconhecimento, veja que tudo começa e termina em conhecer você mesmo(a).

Identifique padrões

Mesmo que você não tenha um estilo definido e se sinta perdido(a) ao ver seu guarda-roupa, com um pouco mais de atenção é possível que você identifique certos padrões nas escolhas de roupas que tem feito. Talvez não haja tanta harmonia, porém, haverá certas indicações sobre suas preferências. 

Você pode observar questões como cores que se repetem, por exemplo, sua preferência pode estar em tons mais neutros ou do contrário pode haver bastantes cores e estampas no seu guarda-roupa. Avalie quais tipos de peças você mais comprou, se são modelos mais casuais ou peças mais clássicas. 

Vá aos poucos compreendendo quais as características das roupas que você compra, seus materiais, modelagens e em que estilo elas se encaixam. Talvez você preze mais para um visual romântico com vestidos e blusas delicadas ou você tem certa tendência a looks mais esportivos. 

Com essas observações você poderá ter uma visão aproximada dos seus gostos e interesses. Sendo bem mais fácil após essa análise, visualizar quais peças são a sua cara e em quais estilos sua personalidade será melhor representada. 

Esses são só alguns exemplos de pontos que podem te ajudar a definir seu gosto pessoal. Mas faça o exercício e observe quais cores, peças, materiais, combinações e itens mais se repetem no seu guarda-roupa.

Busque referências

Ser autêntico(a) não quer dizer que você não possa buscar inspirações e referências em outras pessoas para se vestir melhor.

Ao separar imagens com pessoas que tenham um estilo parecido com o que você deseja construir para si, se torna bem mais fácil definir quais peças adquirir, quais combinações fazer e se determinado estilo realmente corresponde ao que você busca. 

Aproveite que hoje com a facilidade da internet não poderia ser mais fácil fazer esse garimpo de inspirações. Use redes sociais como o Pinterest e o Instagram para pesquisar exemplos de looks que você acha visualmente agradáveis e vá selecionando vários deles para ter como referência. 

A partir dessa pesquisa você pode, assim como no passo anterior, identificar padrões nas roupas, como por exemplo, cores, modelagens, tecidos e em quais estilos essas peças mais se encaixam. 

Tudo isso irá te oferecer uma orientação para as futuras compras e facilitará também a composição dos seus visuais no dia a dia. 

O que funciona em você

Para um look ser considerado estiloso ele precisa primeiramente cair bem no seu corpo, isso significa realçar suas características físicas, valorizar o que há de melhor em você e ainda te deixar confortável e confiante com sua aparência. 

Diante disso, é importante que você entenda que nem todas as referências que você achar interessante nas outras pessoas, necessariamente serão ideais para valorizar suas particularidades e personalidade.

Assim vale a pena testar diferentes composições e estilos. Conheça seu corpo e experimente várias opções antes de comprar qualquer peça, não insistindo naquilo que não te cai bem só porque ficou bonito em outra pessoa. 

Se você sentiu que a peça por algum motivo não ficou legal em você ou não reflete exatamente a mensagem que você quer transmitir, provavelmente você não se sentirá à vontade usando a mesma  e ela ficará encalhada no seu guarda-roupa. 

Uma outra dica importante é pesquisar na internet dicas sobre como encontrar peças e combinações proporcionais ao seu tipo de corpo, valorizando assim o que você tem de melhor e trazendo harmonia ao visual.

Leve em consideração seu estilo de vida

Suas roupas são um investimento financeiro que a longo prazo  pode ser bastante custoso para o seu bolso. Por isso, é preciso analisar bem antes de comprar uma peça ou se tentar incorporar um novo modo de vestir. 

Compreender sua rotina é indispensável nesse momento, já que não adianta o visual ser extremamente estiloso se na hora de realizar alguma atividade como ir trabalhar ou comparecer a um evento, as roupas que você tem não sirvam bem a ocasião.

Pode parecer frustrante, mas você não poderá adotar um visual totalmente despojado se trabalhar em um escritório de advocacia, por exemplo. É preciso que haja certa coesão na composição do seu guarda-roupa e pensar as peças de modo funcional para seu dia a dia, é essencial. 

É claro que você não precisa se resumir ao seu ambiente profissional ou aos compromissos da vida, é possível possuir peças com diferentes propostas e combiná-las de acordo com a circunstância. Por exemplo, uma calça moletom preta pode ser combinada a outras peças mais formais, como um  blazer e um salto alto para o uso no trabalho. 

Assim, a dica para transitar melhor entre diferentes ambientes e estilos de vestir é apostar em peças básicas, atemporais e versáteis como camisas brancas e pretas, calças jeans, tênis brancos, saltos nude, entre outras. 

Esses itens vão lhe possibilitar compor tanto visuais mais sociais quanto looks mais criativos e esportivos.

Por fim, cada escolha realizada precisa levar em conta sua vida com um todo, não apenas o ambiente profissional. Pense bem sobre quais lugares fazem parte da sua rotina, como faculdade, lugares de lazer e também não deixe de considerar o clima do local que você mora, casacos pouco serão úteis no seu guarda-roupa se você viver em uma cidade de temperatura alta. 

Experimente e quebre padrões

A harmonia e o padrão entre as peças é indispensável para compor um guarda-roupa usual e prático. Isso porque cada estilo de vestir exige certas peças que são essenciais para ajudar na composição dos looks.

Porém, não pense que você precisará se prender ao que é pertencente a um ou outro modo de se vestir.

Talvez certas peças e composições que você acredita que não se encaixam bem no seu estilo, podem ser bastantes interessantes para se criar visuais mais modernos e diferentes. Assim, vale a pena explorar novas possibilidades inserindo peças que você jamais cogitou usar. 

Algo que está bastante em evidência no momento é a combinação entre o clássico e o esportivo, misturar tênis com peças mais sociais ou saltos altos com roupas em moletom, são uma ideia estilosa.

Ser estiloso é estar confortável e confiante consigo mesmo

Por último, nada é mais importante na construção do seu estilo e imagem pessoal, do que se sentir confortável e segura com sua própria aparência. Nenhuma tendência da moda ou estilo vale a pena se não refletir quem você é como pessoa. Sua identidade e bem-estar devem ser o foco em cada peça adquirida. 

Assim, a dica mais importante é observar como você se sente ao usar essas roupas, se elas realmente transmitem sua personalidade ao mundo e como elas se encaixam no seu cotidiano.

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *